Deco deflagra Operação Ícaro fase Iuris e apreende 4 aeronaves em Aquidauana

0
28
Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil, via Deco, desencadeou na segunda-feira (23), a Operação Ícaro fase Iuris, com foco na repressão qualificada de estelionatos, falsidade ideológica, falsificação de documento público e particular, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, cometidos através de táxi aéreo clandestino.

A Operação deflagrada em Aquidauana e que mirou também atentado à segurança de voo, comercialização ilegal de combustível aeronáutico, enriquecimento ilícito por meio de crimes contra a ordem tributária e crimes ambientais, resultou nas apreensões de quatro aeronaves que estavam sendo utilizadas como táxi aéreo clandestino.

As aeronaves apreendidas no Aeroclube do município, foram submetidas a exames periciais que comprovaram que estavam em desacordo com as normativas voltadas às operações aéreas seguras. Os aviões apresentavam plaquetas de identificação voltadas a rastreabilidade com indícios de adulteração e estavam operando com certificado de aeronavegabilidade cancelados, o que acabou culminaram em interdições e autos de infrações lavrados pela Anac.

Foi constatado ainda durante a Operação Ícaro fase Iuris, o comércio e depósito de combustível aeronáutico, sem autorização e em desacordo com as exigências legais e regulamentares, motivo pelo o presidente do Aeroclube foi autuado em flagrante pela 1ª Delegacia de Polícia Civil de Aquidauana. Após pagamento de fiança ele foi liberado para responder às acusações em liberdade.

A Operação Ícaro fase Iuris foi coordenada pela Deco e contou com as participações da Coordenadoria Geral de Perícias de Mato Grosso do Sul, da Delegacia Regional da Polícia Civil de Aquidauana e da 1ª DP, Agência Nacional de Aviação Civil, por meio da Superintendência de Ação Fiscal.

Iuris

A fase da Operação Ícaro foi batizada de Iuris, que significa legalidade.

Desde 2015 a Operação Ícaro sob responsabilidade da Deco, vem coibindo delitos que afrontam a segurança de voos em Mato Grosso do Sul.

Créditos: JOELMA BELCHIOR