Justiça nega liberdade de envolvidos com chefes de milícia em MS

0
19
Foto: Henrique Arakaki / Midiamax

O juiz Waldir Marques da 2ª Câmara Criminal de Campo Grande negou na segunda-feira (7) um pedido de HC para três guardas municipais presos no decorrer da Operação Omertá. Ação esta que culminou com a extinção de uma suposta milícia criada pelo jogo do bicho criada em MS para executar desafetos. As investigações apontam que a organização criminosa era chefiada por Jamil Name e Jamil Name Filho, que coordenavam as atividades dos executores.

OPERAÇÃO ORMETÁ

No decorrer da Operação Ormetá três policiais civil foram presos além de um guarda-municipal. 44 mandados contra a organização criminosa que estaria envolvida em execuções na Capital foram cumpridos. Sendo 13 mandados de prisão preventiva, 10 de prisão temporária e 21 de busca e apreensão. A Operação contou com o apoio do GARRAS, GAECO e CHOQUE.