“Zezinho” morto em confronto com a Polícia mantinha uma produção de drogas no RN

0
17

O Ex-guarda Municipal, José Moreira Freites o “Zezinho” morava há dois meses em Lagoa de Pedra, no Rio Grande do Norte. Por lá segundo as investigações mantinha uma produção de crack na cidade. Ele estava sendo investigado pela polícia e se encontrava foragido em MS. O criminoso foi morto após confronto e troca de tiros com a Polícia Civil. Próximo ao seu corpo foi apreendido uma pistola que havia sido roubada de um policial.

ENTENDA O CASO

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte matou na noite de segunda-feira (14) durante um confronto policial o pistoleiro Zezinho, localizado na zona rural de Macaíba, cidade localizada a 270 quilômetros de Mossoró, onde está localizado o Presídio Federal daquela cidade.

Zezinho estava morando na zona rural de Macaíba e segundo os primeiros informes “ele estava preparando para matar um juiz e um promotor de Justiça”. Há outra informação ainda não confirmada que ele tinha planos de sequestrar o diretor do Presídio Federal de Mossoró-RN para resgatar “amigos”.

Considerado um dos pistoleiros mais perigosos de Mato Grosso do Sul, autor de dois bárbaros assassinatos: o de Paulo Magalhães, delegado aposentado da Polícia Civil e do estudante de Direito Matheus Xavier, Zezinho era uma das peças principais da Operação Omertá que desmontou a chamada “Milícia do Monte Líbano” nesta Capital.

Zezinho estava morando na zona rural de Macaíba e teria começado a contratar bandidos para as suas empreitadas.

Descoberto pelo Serviço de Informações da Polícia do Rio Grande do Norte, no momento de sua prisão ele abriu fogo contra os policiais que responderam à altura, crivando-o de balas.