Investimentos do Governo de MS em infraestrutura impulsionam vagas na construção civil

0
18
Fotos: Edemir Rodrigues

Com 249 canteiros de obras em todo Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado tem sido indutor do desenvolvimento e da retomada da economia. Além de dar mais qualidade de vida à população, os empreendimentos executados com recursos próprios e de convênios têm gerado emprego e renda em todos os cantos do Estado.

Trabalhador da construção civil, Paulo Sérgio de Lima, 50 anos, perdeu o emprego no início da pandemia de covid-19 e ficou por meses sem renda fixa. “Estava trabalhando registrado e o empresário não teve condições de me manter. Fui despedido e fiquei vivendo de bico, até que nesse ano apareceu a oportunidade de trabalhar na Engepar”, diz.

A construtora que deu uma oportunidade de emprego para o encarregado de obras venceu licitação do Governo do Estado para revitalizar o Parque dos Poderes, em Campo Grande, por R$ 18,9 milhões. Mantendo uma média de 82 operários trabalhando por dia na reconstrução do espaço, a empresa estima terminar a obra na segunda quinzena de 2022.

O engenheiro responsável pelo empreendimento, Guth Halley, avalia o cenário positivo para a construção civil. “O setor tem uma flexibilização muito grande. Enfrentou um período de queda no início da pandemia, mas em seguida se ergueu. Por conta desse dinamismo, o setor responde rapidamente ao mercado, aquecendo e movimentando a economia”, explica Halley.

O secretário de Infraestrutura de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, ressalta que “o setor da construção civil representa oportunidades em diversas áreas”. “Tanto de forma direta, como de forma indireta, representa mudança de vida tanto para quem atua nas obras como para utiliza e para quem rodeia. É mais do que asfalto é mais emprego e renda em MS”, afirma ele.

Eduardo Riedel ainda remete o crescimento de empregos no Estado ao perfil competitivo e de desenvolvimento: “nosso Estado tem desenvolvido gradativamente, mesmo diante das dificuldades, e agora com o plano de retomada para os setores mais afetados pela pandemia temos a esperança de recuperar os empregos perdidos e continuar crescendo”.

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram que Mato Grosso do Sul fechou o último mês de maio no azul em relação à geração de empregos formais, aqueles com carteira assinada. Foram 21.993 contratações contra 17.666 demissões no período, gerando um saldo positivo de 4.327 novos empregos. Só no setor da construção civil foram 590 oportunidades geradas no mês de maio.

O Estado vem de uma sequência positiva no Caged desde janeiro de 2021. “Nos cinco primeiros meses do ano acumulamos 24.340 novos empregos formais, aqueles com carteira assinada. Esse número é 71% maior do que a quantidade de empregos aberta em todo o ano passado, que foi de 14.173. Com o avanço da vacinação, Mato Grosso do Sul vive uma plena retomada da economia”, destaca o governador Reinaldo Azambuja.