Ex-moradores da Cidade de Deus comemoram ampliação de recursos do Estado para concluir moradias

0
24
Foto: Edemir Rodrigues

Moradores da antiga favela Cidade de Deus comemoraram o aumento de recursos do Estado para a conclusão das moradias no Jardim Canguru e no reassentamento José Teruel I e II, em parceria feita com a prefeitura de Campo Grande. A expectativa é que com esta ampliação de recursos as obras sejam finalizadas.

Ao todo 150 famílias serão contempladas com as construções das moradias, sendo 52 no Jardim Canguru e 98 para o José Teruel I e II. Algumas casas já foram levantadas, no entanto foram condenadas após laudo técnico e, portanto, terão que ser reconstruídas. Outras ainda necessitam de contrapiso, telhado, reboco, forro e outras adequações nas residências.

“É mais uma esperança para os moradores daqui, pois alguns ainda estão em barracos, outras precisam terminar as casas que estão pela metade e algumas até terão que ser refeitas. Com este aumento de recursos do Estado acreditamos que os trabalhos serão feitos”, afirmou Edileuza Luiz, ex-moradora da Cidade de Deus, que foi reassentada no Jardim Canguru.


Agostina Corrêa, de 84 anos, ficou contente com o aumento da ajuda no Estado e espera que sua casa no Jardim Canguru seja concluída. “Moro sozinha aqui, mas a casa ainda precisa de reboco, trocar o telhado e colocar piso. Quando venta enche de poeira porque não tem forro, as janelas também não fecham”.Edileuza chegou ao local em 2016 e abriu lá uma ONG que cuida de 60 crianças, de 3 a 15 anos. “Já fazia este trabalho na Cidade de Deus e continuei aqui no Canguru. A minha casa aqui eu terminei de construir, mas já me avisaram que ela pode ser demolida, porque há risco de desabar em função da estrutura”, contou.


Já Fabiana Feitosa também destacou que esta medida do governo é mais uma esperança aos moradores. “Moro com seis filhos aqui, quando cheguei ficamos no barraco. Agora a casa ainda precisa de forro, rebocar por fora e trocar a fiação que está velha. Tem muitos aqui que sequer tem telhado, a casa está pela metade”.Há cinco anos no local, Francisca do Nascimento espera que agora sua casa receba as devidas adequações. “Quando chegamos da Cidade de Deus só tinha o terreno. Depois levantaram a estrutura, mas ainda falta o forro, piso, reboco por dentro e até o banheiro”.

Aumento de recursos

O Governo do Estado ampliou em R$ 5,297 milhões o convênio com a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Amhasf), para a conclusão das 150 casas no Jardim Canguru e José Teruel I e II, que são para ex-moradores da favela Cidade de Deus.

A prefeitura solicitou uma participação maior do Governo no convênio porque a Amhasf sofreu queda na sua arrecadação e, além disso, o custo da construção civil sofreu aumento. Com o aditivo, o novo orçamento para a edificação das 150 casas será de R$ 9,2 milhões, sendo R$ 7,8 milhões do Governo do Estado e R$ 1,399 milhão da administração municipal.

 “Essa parceria tem funcionado bem em Campo Grande. Essa sintonia de trabalho entre o Governo do Estado e a prefeitura tem dado inúmeros frutos. Isso mostra que quando a gente trabalha conjuntamente vai resolvendo problemas. Nós vamos transferir R$ 5,297 milhões a mais, para viabilizar essas moradias”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.