MS tem 54 cidades com taxa de letalidade da Covid abaixo do índice nacional

0
29

Mato Grosso do Sul tem 54 cidades com taxa de letalidade da Covid-19 abaixo da média nacional, que é de 2,8%. A variação no Estado vai desde 1,0% em Inocência e Jateí a 4,2% no município de Terenos, que apresenta o maior percentual.  Os dados constam no boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES). A taxa de letalidade mede a porcentagem de pessoas que se infectam com o vírus e chegam ao óbito. Por exemplo, Mato Grosso do Sul tem sua taxa em 2,5%, ou seja, a cada 100 pessoas que contraem a doença, 2,5 se tornam vítimas fatais.

Estão abaixo da taxa nacional os municípios de Dourados, Três Lagoas, Naviraí, Aquidauana, Maracaju, Coxim, Nova Andradina, São Gabriel do Oeste, Amambai, Rio Brilhante, Costa Rica, Chapadão do Sul, Fátima do Sul, Bonito, Ivinhema, Ladário, Água Clara, Aparecida do Taboado, Caarapó, Ribas do Rio Pardo, Bataguassu, Itaporã, Itaquiraí, Porto Murtinho, Deodápolis, Mundo Novo e Nova Alvorada do Sul.

Além das cidades de Sonora, Dois Irmãos do Buriti, Batayporã, Glória de Dourados, Brasilândia, Angélica, Nioaque, Pedro Gomes, Tacuru, Anaurilândia, Selvíria, Aral Moreira, Iguatemi, Paraíso das Águas, Douradina, Paranhos, Bandeirantes, Inocência, Juti, Laguna Carapã, Novo Horizonte do Sul, Rochedo, Santa Rita do Pardo, Alcinópolis, Rio Negro, Taquarussu e Jateí. A taxa de letalidade no Estado esteve abaixo de 2,0% até março deste ano e ultrapassou este patamar em abril, chegando a 2,1%, subindo em seguida para 2,3% (maio), 2,4% (junho) e agora está em 2,5% desde julho.

Redução de casos e mortes

Ao fazer o fechamento dos dados dos dois últimos meses, o cenário mostra uma redução de mais de 50% dos casos e mortes por Covid no Estado, na comparação entre julho e junho deste ano. Outro ponto positivo é a queda de 32% no número de pessoas internadas devido a doença, ao comparar a situação de 30 de junho e 31 de julho.

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, ressaltou que os números são positivos, mas que a pandemia ainda não acabou, por isso é importante manter as medidas de restrição e continuar o processo de vacinação da população. “É preciso muito cuidado, principalmente nas notícias que vêm de todas as partes do mundo. Hoje estava escutando em uma grande emissora nacional sobre a decisão do governo chinês de confinar milhões de chineses, por causa da variante Delta”, ponderou o secretário.

Mato Grosso do Sul continua como destaque nacional na vacinação, liderando o ranking entre os estados na aplicação da primeira e segunda dose. Outro fator relevante é a distribuição dos imunizantes aos 79 municípios em menos de 12 horas.