Hospital Regional de Mato Grosso do Sul recebe 18 mil doses de Polimixina B

0
31
Foto: Rodrigo Ostemberg

A chegada de 18 mil doses de Polimixina B traz um alívio para as várias famílias de pacientes que necessitam do antibiótico de amplo espectro para minimizar as infecções acometidas por bactérias multirresistentes, muito comuns no uso prolongado de ventiladores mecânicos.

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, destacou que foram tomadas todas as ações necessárias para garantir o abastecimento de medicamentos. “Nunca deixamos de suprir o Hospital Regional em todos os insumos.  Houve problemas de desabastecimento mundial de certos medicamentos. Fizemos todo o possível para garantir o fornecimento desses medicamentos”, disse.

O Hospital Regional de Mato Grosso do Sul sofre desde novembro do ano passado com a falta desse antibiótico, devido a demanda mundial ocasionada pela pandemia do novo coronavírus. Em dezembro as empresas enviaram ao HRMS ofícios relatando a dificuldade para a fabricar a Polimixina B, alegando que a aquisição dos insumos, provenientes da China, estavam cada vez mais difíceis de viabilizar.

Há alguns contratos vigentes de Polimixina B no HRMS; uma das empresas chegou a fracionar a entrega em várias parcelas e fez o último envio do medicamento em março deste ano, deixando de entregar outros três 3 lotes. De acordo com o diretor-presidente do HRMS, Lívio Viana de Oliveira Leite, a empresa foi notificada, multada, e mesmo assim, não cumpriu com o contrato. “Temos empenhos, e entregas em atraso e infelizmente as fabricantes dão sempre a mesma resposta: falta de matéria prima para produção. O Ministério Público já foi acionado, as empresas multadas, conforme cláusulas contratuais, mas infelizmente as entregas ainda estão em atraso”.

Uma força-tarefa do Setor de Compras do HRMS fez buscas nos processos e empenhos e encontrou uma distribuidora que aceitou honrar o contrato atrasado, entregando 18.505 ampolas do medicamento. Lívio Viana Leite informou que há outros processos legais de aquisição de medicamentos em curso no Hospital Regional. “Foi feita uma busca nos processos em aberto e vimos a possibilidade de adquirir os medicamentos em falta nos nossos estoques, entrando em contato com as empresas para negociar novas datas de entrega, algumas empresas aceitaram e outras cancelaram os compromissos, dessa forma, conseguimos uma carga suficiente do antibiótico para nossos pacientes não ficar sem tratamento. Até o fim do mês outra empresa deve enviar uma nova remessa com mais 18 mil ampolas de Polimixina B”, destaca Lívio Leite.