Para mudar de vida campo-grandenses buscam capacitação através de cursos do Rede Solidária

0
46
Fotos: Sedhast

Desde de sua inauguração em 2015 o Programa Rede Solidária vem se consolidando com um importante polo de capacitação de jovens e adultos para geração de renda e auxílio na emancipação de famílias em situação de vulnerabilidade social em Campo Grande.

Desenvolvido pelo Governo do Estado e gerido pela Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), o programa conta com duas unidades instaladas nos bairros Dom Antônio Barbosa e Jardim Noroeste onde existem comunidades com famílias em risco social.

Nesses seis anos de atuação já foram capacitados mais de 3.800 pessoas através de cursos diversos, que vão desde gastronomia até de energia fotovoltaica, sistema de última geração para geração de energia limpa através da luz solar.

Artesã de bonecas, Neide Lima Féa é aluna do cursos de modelagem em costura

Para Diretora do Rede Solidária I, unidade Ruth Cardoso, do bairro Dom Antônio Barbosa, os cursos são essenciais para ajudar a população a entrar no mercado de trabalho. “Nos bairros mais periféricos, regiões onde o acesso à qualificação profissional é um pouco distante, conseguimos oferecer gratuitamente uma oportunidade única de qualificação profissional, para que essas pessoas possam ter autonomia para trilhar sua vida com alguma segurança financeira”, destaca.

Caline Lopes fez o curso de panificação

Foi essa oportunidade que Caline Lopes agarrou quando se inscreveu em um dos cursos de panificação oferecido no Rede I, ainda em 2016. “Eu e meu marido estávamos desempregados, não estava conseguindo pagar minha faculdade, foi quando surgiu a oportunidade de fazer um cursos de panificação no Rede Solidária perto de casa, no bairro Dom Antônio. Fiz o curso e comecei a vender bolo de pote para pagar a faculdade e ajudar em casa. Me dediquei ainda mais na confeitaria e hoje tenho minha micro empresa de bolos e doces. Graças a Deus passamos pelo pior momento na pandemia com as vendas da nossa empresa fazendo delivery e atendendo encomendas”, conta. Além da micro empresa, Caline passou recentemente em um processo seletivo para ser merendeira da rede pública de ensino apresentando o certificado do curso feito no Rede Solidária.

Outro exemplo de mudança de vida proporcionada pelos cursos do programa é da artesã de bonecas Neide Lima Féa, aluna do cursos de modelagem em costura. “Caíram bastante minhas vendas porque quase não estava tendo aniversário por conta da pandemia, por isso estou me dedicando a costura de roupas. Já adquiri uma máquina industrial para começar a trabalhar e a aumentar minha renda e movimentar meu MEI”, conta.  

A pandemia da Covid-19 motivou a direção do Rede Solidária a intensificar os cursos de capacitação. Para Paulo Xavier, diretor do Rede Solidária II, no bairro Jardim Noroeste, a realização dos cursos representa esperança de recomeço para muitas famílias. 

“Retomamos os cursos ainda em 2020, no auge da pandemia com muita responsabilidade, porque sabíamos da necessidade de muitas famílias, de gerar renda, e com capacitação fica mais fácil abrir um negócio próprio ou conseguir uma colocação no mercado de trabalho. São modalidades que a pessoa pode ter um retorno imediato com a venda da sua produção, gerando renda para sua família ou abrindo novos caminhos na sua ocupação”, analisa.

Essa foi a oportunidade que o eletricista Flávio Melo dos Reis estava esperando para dar uma guinada na profissão com a possibilidade de fazer um cursos de instalador de energia fotovoltaica. “Já trabalho como eletricista e esse é o futuro, usar a energia solar. Fiz para me qualificar na área e estar pronto quando surgir as oportunidades. Eu gostei bastante do curso, os professores são muito capacitados e o principal é gratuito”, lembrou.

A maioria dos cursos ofertados pelo programa Rede Solidária é através da parceria do Governo do Estado, via Sedhast, com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A expectativa da parceria para este ano é disponibilizar cerca de 500 vagas em 30 cursos de capacitação e geração de renda.

As inscrições estão abertas e são destinadas para a população campo-grandense em geral, para as famílias em situação de vulnerabilidade atendidas pelo Programa Rede Solidária e pelo “Mais Social”. Os cursos serão ministrados em turnos diversos nas duas sedes do Rede Solidária.

Para mais informações entre em contato através dos telefones ou nas sedes do programa. Unidade I, na Avenida Adelaide Maia Figueiredo, n° 1879, bairro Dom Antônio Barbosa, contato pelo telefone (67) 3308-3041. Unidade II, na Rua da Conquista, n° 649, bairro Jardim Noroeste, contato pelo telefone (67) 3344-3877.