Bolsista do Governo de MS, Yeltsin Jacques é ouro no atletismo da Paralimpíada de Tóquio e bate recorde das Américas

0
55
Foto: Wander Roberto/CPB

É ouro! Contemplado pelo Bolsa Atleta, programa do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, coordenado pela Fundação de Desporto e Lazer (Fundesporte), Yeltsin Ortega Jacques venceu com sobras, nesta quinta-feira (26), a prova de 5.000 metros do atletismo, classe T11 (atletas com deficiência visual, com baixa ou nenhuma visão), na Paralimpíada de Tóquio-2020.

Em prova emocionante, o campo-grandense de 29 anos conquistou a primeira medalha dourada do Brasil na modalidade e sua primeira em uma Paralimpíada. O paratleta fechou a disputa no Estádio Olímpico com a marca de 15min13s12, novo recorde das Américas. Completaram o pódio dois corredores da casa: o japonês Kenya Karasawa ficou com a prata ao bater 15min18s12, e o seu conterrâneo Shynia Wada bronze, com 15min21s03.

Durante a disputa, o brasileiro ficou na liderança do pelotão na maior parte da prova. A duas voltas do fim, Karasawa ultrapassou o sul-mato-grossense surpreendentemente, dando a impressão de que se manteria na ponta sem ser alcançado. Com ritmo mais lento que o paratleta asiático, Yeltsin deu demonstrações de cansaço para se recuperar a tempo.

No entanto, o bolsista do Governo do Estado voltou a acelerar no sprint final, faltando 400 metros, na última curva, e ultrapassou o japonês. Na entrada da última reta, o ouro já estava garantido, pois Yeltsin abriu larga vantagem. Tanto é que o brasileiro cruzou em primeiro com folga, marco histórico para o paratletismo verde e amarelo.

O atleta de Campo Grande armou estratégia de trocar de guia durante a disputa. Começou primeiro com o maratonista profissional Laurindo Nunes e fez a outra parte da prova ao lado do experiente Carlos Antonio dos Santos (Bira).

“É nosso [ouro], é do Brasil. É uma grande honra subir o nosso país de posição, país que amamos tanto”, comemorou Yeltsin, em entrevista ao canal SporTV. Ele ainda deu detalhes da estratégia adotada. “Treinamos mais de dois anos intensos especificamente para essa prova, então o trabalho foi feito. Foi uma prova de bastante estratégia. Eu já tinha definido uma prévia próxima a isso e os meninos (guias) foram me passando todas as informações”.

O fundista foi ouro nos 1.500 metros nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019, no Peru, e nos 1.500 e 5.000 metros do Pan de Toronto-2015. O paratleta de Mato Grosso do Sul ainda coleciona uma prata nos 1.500 metros e bronze nos 800 metros no Mundial de 2013 na França.

Em Tóquio, Yeltsin terá ainda pela frente provas de 1.500 metros, às 20h58 (horário de MS), do dia 29 de agosto, começando na rodada 1 da segunda eliminatória. O atleta também está inscrito na maratona, marcada para 4 de setembro, em horário entre 18h30 às 23h30 (de MS). O sul-mato-grossense é um dos 270 contemplados pelo programa Bolsa Atleta do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, coordenado pela Fundesporte.