Idosa cadeirante vítima de negligência é resgatado na Capital

0
48
Foto: Idoso durante atendimento da Defensoria Pública de MS.

A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul conseguiu que um idoso, que é cadeirante por ter as duas pernas amputadas, fosse acolhido em uma instituição de longa permanência em Campo Grande (MS). De acordo com o coordenador do Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (Nudedh) e Núcleo de Ações Institucionais e Estratégicas (NAE), defensor Mateus Augusto Sutana e Silva, a instituição recebeu denúncia sobre a situação do idoso residente no Bairro Caiobá.

A Defensoria foi ao local para prestar atendimento. No endereço, constatou-se que o idoso tem as pernas amputadas e mesmo assim mora sozinho e há algum tempo não recebia qualquer tipo de assistência da família. O assistido relatou que sua irmã prestava algum auxílio, mas devido sofrer de problemas de saúde não poder mais vir a sua casa. “A situação era chocante. O idoso é cadeirante, tendo as duas pernas amputadas. Ele contou sobre a falta de comida e que a região onde mora é muito perigosa. Constantemente ele ouve pessoas tentando arrombar a grade externa da casa que colocou para proteger a sua porta”, detalhou o coordenador do Nudedh e NAE.

Diante da degradante situação, a Defensoria questionou se o assistido gostaria de ser acolhido em uma instituição de longa permanência, o que foi aceito pelo idoso. “Ingressamos com um pedido de tutela de urgência para que o município de Campo Grande seja obrigado a promover a medida de proteção de acolhimento ao idoso e recebemos o deferimento da Justiça”, destacou o coordenador do Nudedh e NAE.

A notificação sobre a tutela de urgência foi enviada ao município que, a partir desta quinta-feira (16) tem até 48h para acolher o idoso.