Modelo agrícola e desmatamento aumentam risco de “tempestade de poeira”

0
38
Foto: BBC News

A tempestade de poeira ocorrido no último domingo (26) que engoliu cidades do interior de São Paulo tem relação direta com a existência de grandes porções de solo seco e sem cobertura vegetal na região; segundo especialistas entrevistados pela BBC News Brasil. Várias cidades do nordeste paulista como França, Ribeirão Preto e Barretos.  A região tem forte presença do agronegócio e um dos menores índices de cobertura florestal original do país.

Houve registros do fenômeno no Triângulo Mineiro, região vizinha da área atingida em São Paulo (SP). “A tempestade foi causada por uma combinação entre ventos fortes, seca intensa e solos desprotegidos. A tempestade de poeira se formou no fim do período seco. Nesta época, diz ele, muitos agricultores deixam os solos nus para plantar no início das chuvas” segundo o Coordenador do Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélites da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Humberto Barbosa.