“As vacinas ensinam nosso organismo a se defender de forma eficaz contra as doenças”, diz imunologista

0
33
Foto: Comunicação Unimed Campo Grande

Dia Nacional da Vacinação reforça a importância da imunização 

ano ouvimos falar muito mais em vacinas do que em anos anteriores. E não é para menos. Com a pandemia da Covid-19, o mundo todo não via a hora de chegar uma vacina que pudesse controlar o vírus causador da doença.  

Segundo especialistas, quando somos vacinados, além de nos proteger também ajudamos a controlar, eliminar e até mesmo a erradicar muitas doenças causadas por vírus e bactérias e, de acordo com a Organização da Saúde (OMS), a imunização em massa chega a evitar ao menos quatro mortes por minuto no mundo. O assunto é tão sério que no próximo sábado (17) é celebrado o Dia Nacional da Vacinação.  

A Dra. Maria das Graças de Melo Teixeira Spengler, médica imunologista e cooperada da Unimed Campo Grande, explica que as vacinas estimulam a produção de nossas defesas por meio de anticorpos específicos. “As vacinas ensinam o nosso organismo a se defender de forma eficaz, e quando o “ataque” de verdade acontece, a defesa é reativada por meio da memória do sistema imunológico. É isso que vai fazer com que a ação “inimiga” seja muito limitada ou, como acontece na maioria das vezes, totalmente eliminada, antes que a doença se instale”, destaca. 

Além das vacinas já previstas no Calendário Nacional de Vacinação e contra a Covid-19, que está em andamento não só no Brasil, mas em vários outros países, neste ano foi lançada também a Campanha Nacional de Multivacinação. O objetivo é atualizar até a caderneta de vacinas de crianças e adolescentes menores de 15 anos. A campanha termina no dia 29 de outubro. 

Dentre as vacinas disponíveis estão BCG, hepatite A e B, pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavírus Humano), meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela), DTP (tríplice bacteriana), varicela e HPV quadrivalente (papilomavírus humano). 

Dra. Maria das Graças ressalta que apesar da campanha em andamento ser destinada às crianças e aos adolescentes, os adultos também precisam manter suas vacinas em dia. “A maioria das vacinas são iniciadas na infância seguindo o Calendário Nacional de Vacinação, porém, há algumas específicas para outras faixas etárias como adolescentes, adultos, gestantes, idosos e para situações especiais, como a atual pandemia da Covid-19, que precisam ser seguidas”. 

Para receber as vacinas previstas no Calendário Nacional de Vacinação e as doses da Campanha Nacional de Multivacinação, basta procurar o posto de saúde mais próximo, munido de documento oficial com foto, cartão do SUS e carteira de vacinação.